Fiesc
Carregando...
Olá | Sair

Sala de Imprensa

30% da água tratada no Brasil é desperdiçada na distribuição

A+ a- Publicado em: 03.10
30% da água tratada no Brasil é desperdiçada na distribuiçãoRaúl Trujilo Alvarez, da entidade alemã GIZ, durante encontro na FIESC (foto: Filipe Scotti)
Clique aqui e veja a cobertura fotográfica do seminário.


Florianópolis, 3.10.2014 - No Brasil, 30% de toda a água tratada é desperdiçada durante a distribuição aos consumidores. No Sul, esse número é 36,4%. O principal motivo que leva a essa perda é a rede de tubulação antiga, que é mais suscetível a vazamentos, além da gestão pouco eficiente do sistema, afirmou o engenheiro da Agência de Cooperação Internacional da Alemanha (GIZ), Raúl Trujilo Alvarez. O especialista participou de seminário sobre saneamento, promovido pela Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC), nesta sexta-feira (3), em Florianópolis. O evento é mais uma ação do Plano de Sustentabilidade para a Competitividade da Indústria Catarinense.

"Estamos jogando fora um volume impressionante de água. Isso não é negócio para ninguém. A água no Brasil é barata demais. Enquanto não for cobrado o custo real, não vamos otimizar o sistema", afirmou Alvarez, salientando que junto com a água também está sendo desperdiçada a energia elétrica gasta na operação do sistema para captação e tratamento. Segundo ele, o nível de perda aceitável é de até 8%, como ocorre na Alemanha.

No caso do Brasil, o consumidor também tem uma parcela de responsabilidade, explicou ele, lembrando que boa parte da estrutura de saneamento é subsidiada. Com isso, o preço pago pelo consumidor para receber água é considerado baixo se comparado aos países que cobram pela água e pela infraestrutura do sistema. "Quando pesa no bolso, é diferente", disse.

Em relação ao tratamento de esgoto, o engenheiro da Casan, Fábio Cesar Krieger, afirmou que a população urbana de Santa Catarina é de 5,2 milhões habitantes, mas só 14% desse total têm coleta e tratamento. O especialista destacou que de 1997 a 2007 não houve financiamento para o setor, o que impossibilitou novos investimentos. No entanto, a partir de 2008, com o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) mais as parcerias com instituições internacionais, essa situação mudou. De 2014 a 2017, a estatal catarinense prevê investir R$ 1,5 bilhão no abastecimento de água e no tratamento de esgoto. Serão beneficiados 31 municípios e 963 mil habitantes.

Dados da Fundação Getúlio Vargas (FGV) mostram que seriam necessários de R$ 7 a 8 bilhões para universalizar o saneamento em Santa Catarina. Em 2010, 1,4 milhão de domicílios não tinha acesso à rede de esgoto no Estado. De lá para cá, acredita-se que não tenha mudado muito. As informações foram apresentadas pelo presidente-executivo do Instituto Trata Brasil, Édison Carlos.

Na opinião do presidente da Câmara de Qualidade Ambiental da FIESC, José Lourival Magri, a infraestrutura de saneamento é tão importante quanto a infraestrutura logística (portos, aeroportos e estradas). Para reduzir os problemas na área ele acredita que um dos caminhos é a realização de parcerias público-privadas, como vem ocorrendo no setor aeroportuário. "Santa Catarina tem um bom desenvolvimento econômico e social, mas, infelizmente, no saneamento estamos entre os sete piores Estados do país. Temos que colocar o dedo na ferida. Não dá mais para conviver com isso", afirmou.

Saneamento do século 18: "A situação do saneamento no Brasil é dramática. Não é força de expressão. É ruim mesmo", afirmou Édison, do Trata Brasil. "O país parou no século 18 e 19 em saneamento", completou ele, que está à frente de uma entidade referência no acompanhamento da questão no país. Esta é uma área da infraestrutura pouco debatida e não avança apesar dos esforços de muitas instituições. "É um tema que não comove as autoridades. Visitei 25 cidades do Pantanal e a maioria não trata um litro de esgoto, vai direto para as nascentes", ressaltou.

Apesar da importância do saneamento, a população não dá o devido reconhecimento. Pesquisa do Ibope mostra que 50% dos entrevistados não estão dispostos a pagar por isso. "O brasileiro ainda acha que é um serviço que não precisa. Necessitamos da sociedade para mudar isso", disse ele.

O especialista também alertou para as doenças causadas pela falta de saneamento. Elas afetam, principalmente, crianças de 0 a 5 anos (53% dos internamentos por diarreia). Os gastos do SUS nas cidades com piores índices de saneamento é 40 vezes maior do que nos municípios que investem na área.

No encontro, o consultor do SENAI/SC, Ricardo Hubner, apresentou as ações para a área de saneamento realizadas pelo do Instituto de Tecnologia Ambiental da entidade, que atua em todo o Estado. 






Dâmi Cristina Radin
Assessoria de Imprensa da FIESC
48 3231-4670 | 48 8421-4080
damicr@fiescnet.com.br


Outras Notícias

Assembleia concede comenda do Legislativo à FIESC Publicado em: 25/11/2014 Outorga destacou iniciativas como o Movimento A Indústria pela Educação e o Programa de Desenvolvimento da Indústria Catarinense
Côrte assume vice-presidência do Conselho Temático de Educação da CNI Publicado em: 25/11/2014 Presidente da FIESC lidera o Movimento A Indústria pela Educação que tem estimulado o setor a investir na qualificação dos trabalhadores
Seminário em Florianópolis aborda o uso eficiente de energia na indústria Publicado em: 25/11/2014 Encontro será realizado na sexta-feira, dia 28 de novembro, das 8h30 às 17h30, na FIESC
Novos Caminhos forma jovens que vivem em abrigos de Itajaí e Blumenau Publicado em: 24/11/2014 Programa é resultado de uma parceria entre a Federação das Indústrias, o Tribunal de Justiça e a Associação dos Magistrados Catarinenses
Trabalhadores adotam hábitos mais saudáveis e incentivam familiares Publicado em: 24/11/2014 Comportamento preventivo é estimulado por meio dos Jogos do SESI que reúnem em Blumenau 740 atletas de todo o Estado
Leis de incentivo à inovação e informática serão debatidas no SENAI nesta terça Publicado em: 24/11/2014 Workshop apontará caminhos para empresas que desejam acessar benefícios previstos nas Leis do Bem e da Informática
SESI/SC vence Prêmio RBS de Educação com incentivo à leitura Publicado em: 22/11/2014 Projeto foi reconhecido como melhor trabalho catarinense realizado em escola privada na categoria júri técnico. Outras sete escolas foram premiadas
Ministros do STJ participam de reunião na FIESC Publicado em: 21/11/2014 Jorge Mussi e Gilson Langaro Dipp estiveram na entidade nesta sexta-feira (21), em Florianópolis
FIESC entrega Prêmio de Jornalismo 2014 Publicado em: 21/11/2014 Profissionais foram reconhecidos na manhã desta sexta-feira (21) durante reunião de diretoria da entidade, realizada em Florianópolis
Indústria moveleira recebe comitivas de empresas internacionais Publicado em: 21/11/2014 Com articulação da FIESC, grupo de colombianos visitará fábricas em São Bento do Sul. Argentinos também serão recebidos no Norte do Estado
FIESC homenageia professora nota 10 Publicado em: 21/11/2014 Paula Aparecida Sestari, do Centro de Educação Infantil Odorico Fortunato, foi reconhecida em prêmio da Fundação Victor Civita
FIESC lança o mapa estratégico do comércio internacional de SC Publicado em: 20/11/2014 Para divulgar a iniciativa, a entidade realizará workshops em Criciúma, Blumenau, Joinville, Jaraguá do Sul, Chapecó, Joaçaba, Lages e Florianópolis
Jogos estaduais do SESI reúnem 740 trabalhadores em Blumenau Publicado em: 20/11/2014 Industriários representam 99 indústrias de todo o Estado em disputas de nove modalidades esportivas
Projetos expostos no Mundo SENAI pretendem facilitar processos industriais Publicado em: 20/11/2014 Drones e simuladores estão entre os trabalhos expostos no evento que mostra à comunidade oportunidades geradas pela educação profissional
Carreira e emprego são destaque em palestra de Gehringer na Capital Publicado em: 20/11/2014 Escritor e comentarista de TV veio a Florianópolis a convite do IEL/SC
Outras notícias

Agenda

Sem eventos - Em breve nossa agenda será atualizada.

Termômetro da Indústria