Newsletter Semanal da FIESC  |  nº 494  |  18.01 até 25.01.2017  |  FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA
» Proposta de reforma trabalhista traz importantes avanços

Na avaliação da indústria, as mudanças nas relações trabalhistas propostas pelo governo representam importante avanço pois aumentam a segurança jurídica e podem abrir caminho para a geração de emprego. Em linha com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), a Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC) considera que as propostas apresentadas no dia 22 de dezembro ampliam a competitividade, melhoram o ambiente para os negócios e abrem caminho para a retomada das contratações, sem reduzir ou eliminar direitos do trabalhador. "Isso é especialmente importante num cenário de forte crise, como o atual, em que mais de 12 milhões de brasileiros estão sem emprego. A excessiva rigidez da legislação em vigor contribui para agravar esse cenário", diz o presidente da FIESC, Glauco José Côrte.

Antiga reivindicação da entidade, a valorização das negociações entre empregadores e empregados é um dos aspectos mais importantes propostos, avalia Côrte, lembrando que Santa Catarina é o único Estado do País com mínimo regional definido por meio de negociação. Consagrada na Constituição Federal e em duas resoluções da Organização Internacional do Trabalho (OIT) ratificadas pelo Brasil, a negociação coletiva é a forma pela qual empresas e trabalhadores, por meio de seus sindicatos, assumem o protagonismo ao formularem condições e rotinas que regerão as próprias vidas, sempre de acordo com as garantias constitucionais e da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). A medida proposta permite aumentar a segurança jurídica, evitando a anulação judicial de acordos e convenções coletivas legitimamente negociados entre empresas e sindicatos de trabalhadores.

A flexibilização da jornada de trabalho, por exemplo, permitirá que o intervalo para almoço, o chamado intrajornada, seja reduzido, contemplando outra reivindicação de empregados e empregadores catarinenses, especialmente do Vale do Itajaí. "O intervalo menor pode permitir que trabalhadores tenham folga aos sábados. Mas até hoje, mesmo quando a redução era prevista em acordo ou convenção coletiva, atendendo requisitos como disponibilidade de restaurante funcional, as empresas estavam sujeitas à notificação", diz o presidente da FIESC, Glauco José Côrte. A ampliação da possibilidade de fracionar as férias é outro exemplo de avanço, pois a atual rigidez prejudica tanto empregados quanto empregadores.

A indústria também apoia a decisão de prorrogar o agora denominado Programa Seguro-Emprego (PSE). O mecanismo, que permite reduzir jornada e salários em momentos de adversidade econômica, preserva o poder de compra de parte dos trabalhadores e estimula a retenção de profissionais qualificados pelas empresas.

Apesar dos avanços, a FIESC considera que existem pontos fundamentais, como NR 12, quitação dos contratos de trabalho e terceirização, que não foram objeto do pacote anunciado.

Veja aqui todas as notícias

FIESC debate parcerias com município de Rio Negrinho

Grupo para rever permissionamento da pesca anima setor

Prazo para pagamento da contribuição sindical é 31 de janeiro

Opinião: A minirreforma trabalhista, por Glauco José Côrte

» Nova taxa de juros é aceno para estimular consumo

» Racionalização nas prefeituras é o caminho certo, diz FIESC

» Exportação catarinense cai menos que a média nacional

» Redução no preço do gás é notícia positiva, diz FIESC

» Proposta de reforma trabalhista traz importantes avanços

» Programa Novos Caminhos é apresentado ao CNJ

» Abertas inscrições da educação de jovens e adultos

Veja aqui - Todas as notícias

Facebook Twitter Linkedin Flickr

Observatório

Indústria e competitividade

Guia da Indústria FIESC

Saiba mais

FIESC

SENAI

SESI

IEL

Prêmio FIESC de Jornalismo

e-Social





Federação das Indústria do Estado de Santa Catarina

Departamento Regional - Fone 48 3231 4100

Rod. Admar Gonzaga 2765 - Florianópolis/SC - 88034-001

Gerência de Comunicação

Institucional:Elmar Meurer

Edição:Filipe Scotti e Dâmi Radin

Reportagem:Dâmi Radin, Elida Ruivo, Ivonei
Fazzioni e Gabrielle Bittelbrun