Newsletter Semanal da FIESC  |  nº 565  |  13.06 até 20.06.2018  |  FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA
» Opinião: Chega de mão de obra!, por Glauco José Côrte


Presidente da FIESC, Glauco José Côrte (Foto: Marcus Quint)
Como sabemos, o mundo vive uma época de avanços tecnológicos impressionantes, que estão impactando e modificando o nosso estilo de vida e transformando completamente o chamado mundo do trabalho. Segundo o Fórum Econômico Mundial (2016), 30% dos empregos atuais não existiam dez anos atrás e 65% das crianças que se encontram nos primeiros anos de escola trabalharão em ocupações que ainda não existem. Isso significa que muitas das atuais atividades deixarão de existir e outras serão criadas. E não estamos distantes desse futuro. Em artigo recente, Paolo Gallo, conselheiro sênior do Fórum, citou estudo da consultoria McKinsey, segundo o qual 56% dos novos postos de trabalho são para realizar funções recém-criadas.

O mesmo consultor alertou para um erro usual de avaliação: a de que apenas trabalhos manuais e de baixa remuneração (trabalhos administrativos, por exemplo) seriam eliminados. Acontece que o advento da inteligência artificial e a automação colocam em risco também atividades de alta qualificação. É o caso, por exemplo, dos analistas financeiros, cujos trabalhos em boa parte dos bancos americanos de investimento já estão sendo realizados por algoritmos.

A questão que se coloca é esta: como preparar crianças e jovens para ocupações que não sabemos quais serão? Quais são as competências necessárias no futuro? Uma coisa é certa: não é com práticas ultrapassadas que construiremos um projeto viável para a sua inserção no mundo do trabalho. Ao lado de suas competências técnicas, os jovens precisarão ser capazes de, pelo menos: avaliar uma situação sob diferentes perspectivas, desenvolver alternativas criativas, relacionar-se, negociar, ter bom senso, tomar decisões e resolver problemas complexos.

São jovens providos de forte qualificação multidisciplinar e inteligência emocional. Risquemos, assim, do dicionário, a expressão "mão de obra", incompatível com a formação do novo profissional do trabalho, para os quais sempre haverá trabalho!

Veja aqui todas as notícias

FIESC lança Prêmio de Jornalismo 2018, que distribuirá R$ 78 mil

Estudante do SENAI/SC é prata em soluções de software

Novos Caminhos ganha reforço da ACM e Fundação ESAG

FIESC debate propostas aos candidatos nas eleições 2018

» Opinião: Chega de mão de obra!, por Glauco José Côrte

» Obras de ampliação da BR-163 no Oeste estão abandonadas

» Livro reúne artigos sobre temas centrais da indústria

» SENAI e Prefeitura de Fraiburgo renovam parceria

» Côrte enaltece vida de Mário Lanznaster, no prêmio ADVB

» Movimento SC pela Educação e FECAM realizam seminário

» Encontro debate o futuro da água em Florianópolis

» Organizações são capacitadas sobre leis de incentivo fiscal

» Em Blumenau, Movimento debate educação integral e BNCC

» Alesc lança 8ª edição do prêmio de responsabilidade social

» Organizações são capacitadas sobre leis de incentivo fiscal

Facebook Twitter Linkedin Flickr

Observatório

Indústria e competitividade

Guia da Indústria FIESC

Saiba mais

FIESC

SENAI

SESI

IEL

Prêmio FIESC de Jornalismo

E-Social





Federação das Indústria do Estado de Santa Catarina

Departamento Regional - Fone 48 3231 4100

Rod. Admar Gonzaga 2765 - Florianópolis/SC - 88034-001

Gerência de Comunicação

Institucional:Elmar Meurer

Edição:Filipe Scotti e Dâmi Radin

Reportagem:Dâmi Radin, Elida Ruivo, Ivonei
Fazzioni e Gabrielle Bittelbrun