Newsletter Semanal da FIESC  |  nº 597  |  27.02.2019 até 6.03.2019  |  FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA
Abertura comercial será progressiva e com diálogo

Clique aqui e assista à entrevista com Marcos Troyjo, secretário de comércio exterior

Clique aqui e veja no Flickr da FIESC a cobertura fotográfica

"Por parte do Brasil precisamos expor mais a economia à concorrência internacional. Mas não a faremos maneira açodada, irresponsável e abrupta. Vamos fazer o diálogo com a sociedade e os empresários de forma ampla, progressiva e coordenada com outras frentes da política econômica", afirmou o secretário de comércio exterior e assuntos internacionais do Ministério da Economia, Marcos Troyjo. Ele participou da reunião de diretoria da FIESC, na sexta-feira (22), em Florianópolis.

Troyjo salientou que o governo tem lições de casa para executar, como a reforma da previdência, a tributária, privatizações, concessões, a reforma administrativa e a inserção da economia. "Não faz sentido fazer redução abrupta das tarifas de importação se você não consegue mexer na simplificação e desburocratização da empresa exportadora e importadora. Não faz sentido expor simplesmente o setor a uma maior competição internacional se não diminuir sua carga de tributos", explicou.

Conforme o secretário, a abertura vai significar, de certa forma, reestruturar também o Mercosul. "É preciso rever algumas coisas no Mercosul até no sentido de deixá-lo mais rápido e eficiente. Quase nem cumprimos a fase de livre comércio e fomos direto à união aduaneira", disse ele, ressaltando que é um tema em análise em que se avalia ser uma união aduaneira, mas com tarifas mais baixas e próximas da média mundial. Ele também observou que mudanças podem tornar o bloco mais atrativo para receber projetos de infraestrutura, por exemplo, que sejam de interesse dos países. "Se quiser atrair capital internacional precisa que os sócios se deem as mãos", afirmou.

Marcos também lembrou que os Estados Unidos não estão em declínio, mas em transformação. "Isso vai nos impactar como problema ou oportunidade", disse, chamando a atenção para a migração da ênfase da economia mundial do atlântico para o pacífico, capitaneada pela China, mas com participação importante da Índia. Inclusive, ele acredita que o crescimento do PIB e da renda indiana abre oportunidade para o Brasil ampliar o fornecimento de alimentos.

O presidente da FIESC, Mario Cezar de Aguiar, disse que a inserção comercial brasileira com diálogo e ouvindo o setor produtivo tranquiliza Santa Catarina. "Temos um estado que tem uma participação importante na corrente de comércio internacional. A China é o principal cliente dos produtos catarinenses e em segundo lugar temos os Estados Unidos", afirmou, lembrando que o estado é destaque na agroindústria nacional.

Veja aqui todas as notícias

Abertura comercial será progressiva e com diálogo

FIESC encomenda estudos para Aeroporto de Chapecó

FIESC mostra ao Fórum Parlamentar proposta em logística

Retirada da vacinação contra aftosa no PR preocupa SC

» Convênio amplia ações para micro e pequenas

» Agenda econômica do País tem potencial disruptivo

» Projetos de SC são aprovados em edital de inovação

» Inteligência artificial personalizará ensino, mostra estudo

» FIESC e ACM vão atuar em ações em políticas públicas

» Marisol expõe no Espaço Indústria na FIESC

» SC vai ao Rio competir no Festival de Robótica do Brasil

» FIESC fortalece ações de câmaras setoriais e temáticas

» Confiança do industrial segue elevada em fevereiro

» FIESC é referência em desenvolvimento associativo

» Edital busca soluções inovadoras para o setor de energia

Veja aqui - Todas as notícias

Facebook Twitter Linkedin Flickr

Observatório

Indústria e competitividade

Guia da Indústria FIESC

Saiba mais

FIESC

SENAI

SESI

IEL

Prêmio FIESC de Jornalismo

e-Social





Federação das Indústria do Estado de Santa Catarina

Departamento Regional - Fone 48 3231 4100

Rod. Admar Gonzaga 2765 - Florianópolis/SC - 88034-001

Gerência de Comunicação

Institucional:Elmar Meurer

Edição:Filipe Scotti e Dâmi Radin

Reportagem:Dâmi Radin, Elida Ruivo, Ivonei
Fazzioni e Gabrielle Bittelbrun