Newsletter Semanal do Sistema FIESC  |  nº 198  |  12.01 até 19.01.2011  |  FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA
Têxteis de SC querem aumentar negócios com a América do Sul


Com a crise, setor direcionou as vendas ao mercado interno (foto: divulgação FIESC)
O setor têxtil catarinense começa 2011 com o desafio de aumentar as exportações para os países da América do Sul, afirma o presidente do Sindicato das Indústrias de Fiação, Tecelagem e do Vestuário de Blumenau (Sintex), Ulrich Kuhn. Com a crise, o segmento reduziu as exportações e direcionou as vendas ao mercado interno, que está aquecido, mas não absorveu toda a produção.

Hoje, o mercado internacional para o setor é dominado por países como China, Vietnã, Bangladesh, Turquia e Paquistão. A forte concorrência com os asiáticos faz com que os embarques sejam focados nos países vizinhos. A proximidade geográfica oferece vantagem competitiva às empresas.  

De janeiro a novembro de 2010 as exportações do setor somaram US$ 194,8 milhões. Os principais compradores são Argentina, Estados Unidos, Uruguai, Paraguai, França, Espanha e Alemanha.

Em 2000, a participação catarinense nas exportações brasileiras de produtos da indústria têxtil e do vestuário era de 25% (US$ 301 milhões), mas, em 2009, esse número caiu para 9% (US$ 176 milhões). A participação brasileira de produtos têxteis no mercado mundial não chega a 1%. 

Kuhn afirma que uma das preocupações é com o avanço das importações. Nos últimos dez anos, o estado aumentou a participação nas importações brasileiras do setor, que passaram de 9% em 2000 para 27% em 2009.

Para o presidente do Sintex, 2010 foi um ano positivo, influenciado pelo mercado interno. Ele ressalta que há espaço para crescer, mas é preciso vencer os desafios. "A indústria tem que ficar mais competitiva para enfrentar o mundo globalizado. Temos que trabalhar mais nossas marcas, não dá para sermos apenas produtores", disse.

Segundo ele, o setor está confiante para 2011, mas a expectativa é mais moderada. "Teremos números menores, mas as perspectivas e a confiança no Brasil continuam grandes", disse.

Números: A indústria têxtil e do vestuário emprega 155 mil trabalhadores nos 8,3 mil estabelecimentos situados no estado. A atividade tem uma participação de 16% na indústria do estado levando em consideração o valor da transformação industrial. Santa Catarina é o segundo pólo têxtil e do vestuário do Brasil e o maior produtor de linhas para crochê e fitas elásticas da América Latina. O setor também se destaca na produção de artigos de cama, mesa e banho.

Veja aqui todas as notícias

Vendas da indústria de SC acumulam alta de 3% até outubro

Setor de alimentos tem expectativa de novos mercados

Têxteis de SC querem aumentar negócios com a América do Sul

Abertas inscrições para missão à feira de TI na Alemanha

FIESC lança programação de cursos na área de comércio exterior

SENAI Criciúma conquista prêmio de excelência em gestão

Moveleiras de SC apostam no mercado interno em 2011

Facebook Twitter Linkedin Flickr

Observatório

Indústria e competitividade

Guia da Indústria FIESC

Saiba mais

FIESC

SENAI

SESI

IEL

Prêmio FIESC de Jornalismo

E-Social





Federação das Indústria do Estado de Santa Catarina

Departamento Regional - Fone 48 3231 4100

Rod. Admar Gonzaga 2765 - Florianópolis/SC - 88034-001

Gerência de Comunicação

Institucional:Elmar Meurer

Edição:Filipe Scotti e Dâmi Radin

Reportagem:Dâmi Radin, Elida Ruivo, Ivonei
Fazzioni e Gabrielle Bittelbrun