Fiesc

Industrial de SC não se curva diante das dificuldades

A+ a-
Publicado em: 24/05/2013
Industrial de SC não se curva diante das dificuldades
Côrte definiu os homenageados como apóstolos da esperança (Foto: Fernando Willadino)

Florianópolis, 24.5.2013 - "O atraso na duplicação e melhoramento de rodovias, a ausência absoluta e inaceitável de um sistema de transporte ferroviário, as limitações no abastecimento de energia elétrica e as restrições na ampliação do fornecimento de gás natural prejudicam a operação das indústrias e retardam os investimentos", afirmou o presidente do Sistema FIESC, Glauco José Côrte, na cerimônia de entrega da Ordem do Mérito Industrial de Santa Catarina. "A coragem com que iniciaram, expandiram e mantém os seus empreendimentos é bem a marca do industrial catarinense, que não se curva diante das crises e das dificuldades. São verdadeiros apóstolos da esperança", enfatizou ele, referindo-se aos empresários condecorados.

A solenidade foi realizada na sede da Federação, em Florianópolis, nesta sexta-feira (24), em ato que encerrou a Jornada Inovação e Competitividade da Indústria Catarinense e marcou o Dia da Indústria e o aniversário de 63 anos de fundação da FIESC (25 de maio). A Ordem do Mérito Industrial de Santa Catarina foi entregue aos empresários Carlos Alberto Biezus (da Seta Engenharia, de Concórdia), Carlos Kracik Rosa (Minusa Tratorpeças, de Lages), Cide Damiani (Damyller, de Nova Veneza), Manoel Arlindo Zaroni Torres (Tractebel Energia, de Florianópolis) e Vicente Donini (Marisol, de Jaraguá do Sul). A comenda é o mais alto reconhecimento da indústria catarinense.

O industrial Vilson Hermes, presidente do Grupo Dass, de Saudades, recebeu a Ordem do Mérito Industrial da Confederação Nacional da Indústria (CNI), a mais alta condecoração da indústria nacional. "Fico muito feliz e honrado de receber tamanho reconhecimento que não me permite ficar calado. Esse reconhecimento é fruto do trabalho e da dedicação de quase 11 mil pessoas", disse Hermes, em menção ao número de funcionários que integram a Dass. Ele, que falou em nome dos demais homenageados, lembrou a trajetória que iniciou com poucas máquinas e muitas dúvidas. Hoje, 33 anos depois, segundo ele, as dúvidas persistem. "O maior desafio de um empresário é ter a humildade de não transformar a empresa em vítima de suas certezas. Nossa maior luta é aprender a nos desapegar do que nós próprios criamos. Começar a mudar quando ainda está dando certo talvez é o gesto mais empreendedor", declarou, emocionado.

Outra homenagem concedida na manhã desta sexta-feira foi o Mérito Sindical, que é conferido aos sindicatos de indústria que cooperam para o fortalecimento da representatividade empresarial catarinense e que permanecem filiados à entidade há 25, 30 e 40 anos. Neste ano, 16 organizações de todo o Estado foram homenageadas. Veja no quadro abaixo a relação. "É motivo de muita satisfação. Os sindicatos são a força da FIESC e é por meio deles que Federação consegue fazer tudo o que vem fazendo em prol da indústria de Santa Catarina e do país", afirmou o presidente do Sindicato da Indústria de Material Plástico de Santa Catarina, Albano Schmit, que falou em nome dos demais sindicatos.

Ainda durante a solenidade, Walter Orthmann, o brasileiro que trabalha há mais tempo na mesma empresa, recebeu homenagem pelo elevado grau de profissionalismo, comprometimento e dedicação. Ele completou 75 anos de trabalho na Renauxview, empresa têxtil de Brusque. Em sua fala, Walter disse que começou a trabalhar aos 15 anos para ajudar na renda familiar. "Na época, trabalhar com essa idade não era problema", ressaltou ele, quando foi interrompido pelos aplausos de uma plateia de 400 pessoas. "O trabalho engrandece e nos mantêm vivos", salientou.

O vice-presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Paulo Tigre, representou o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, na solenidade.

Todas as fotos da cerimônia de homenagem da Ordem do Mérito, Mérito Sindical e da Jornada Inovação e Competitividade estarão disponíveis, em instantes, no endereço http://www.flickr.com/photos/fiescnet/

Perfil de cada homenageado

Carlos Alberto Biezus: natural de Concórdia, cursou engenharia civil em Porto Alegre. No retorno, deu início a Seta Engenharia, empresa focada na implantação de loteamentos e construção de edifícios e casas. Com o tempo, a empresa passou a direcionar suas ações para obras de geração energética. A empresa de 980 funcionários foi responsável pela construção de 17 usinas hidrelétricas, cuja produção permite atender 830 mil residências. Atualmente, também participa da construção de parques eólicos e de captação de energia solar.

Carlos Kracik Rosa: é natural de Rio do Sul. Nascido em 1946, começou a trabalhar ainda jovem como vendedor de frutas, engraxate e office boy, sem deixar os estudos de lado. Fez um curso técnico em contabilidade, que ajudou a conquistar um emprego na área e despertou seu senso de empreendedorismo. Depois, quando já frequentava o curso superior de ciências contábeis na Universidade do Planalto Catarinense, abriu seu próprio escritório. Na mesma época, em sociedade com o irmão Rogério, fundou a Minusa Representações Ltda., para comercializar peças e ferramentas para tratores. Em 1968, uniu a Minusa com a Mecânica Kracik outra empresa que administrava. Hoje com aumento no quadro de serviços e ampliação no parque fabril, a Minusa atua no ramo de indústria, comércio, importação e exportação de peças de reposição para tratores de esteiras. O grupo concentra suas atividades em fundição e forjaria, realizando processos de usinagem e tratamento térmico, além de possuir lojas próprias. O empresário teve participações em entidades e associações e buscou promover discussões para o desenvolvimento da indústria catarinense. Atualmente, Carlos Kracik Rosa é diretor presidente da Minusa, que conta com equipe de 790 pessoas.

Manoel Zaroni: formado em engenharia elétrica pela Escola Federal de Itajubá, Minas Gerais, e com especialização em Administração pelo Ceped/Insead, em Fontainebleau, na França, Manoel Zaroni tem uma trajetória admirável. Trabalhou em Furnas durante 25 anos e participou de diversas ações como a elaboração da Lei 8631 e Decreto 774 da negociação dos contratos de suprimento de energia de Furnas. Foi em 1998, que passou a integrar a diretoria da Tractebel Energia, como diretor de operação das Centrais Geradoras do Sul do Brasil. E já em 1999, se tornou presidente da empresa, passando também a participar de entidades como o Conselho de Administração do Operador Nacional do Sistema Elétrico Brasileiro (ONS) e o Conselho Plenário do Comitê Gestor do Consórcio Machadinho. Em janeiro deste ano, Zaroni foi considerado o 29º Melhor Presidente do Mundo e 4º Melhor Presidente da América Latina, pela revista Harvard Business Review.

Nelcides Damiani: Filho de rizicultores de Nova Veneza, Nelcides Damiani se mudou com a família para Criciúma para poder estudar. Com o tempo, percebeu sua vocação para os negócios. Em uma época em que o setor de carvão tinha predomínio da região Sul do Estado, Damiani resolveu diversificar e empreender no setor de vestuário. Em 1979, aos 23 anos, associou-se a dois tios na implantação da Damyller. Era uma pequena fábrica de calças de jeans e veludo, com dez funcionários e sete máquinas de costura. Depois os irmãos de Damiani também foram incorporados à sociedade. Hoje a empresa possui 2,3 mil funcionários, parque fabril de 69 mil metros quadrados e produção mensal de 180 a 200 mil peças, que são vendidas em mais de uma centena de lojas em todo o país.

Vicente Donini: Depois de 29 anos atuando como executivo no Grupo Weg, Donini transformou a Marisol. A empresa hoje possui quatro unidades industriais, nas cidades catarinenses de Jaraguá do Sul e Schroeder, na gaúcha Novo Hamburgo e na cearense Pacatuba, que geram quatro mil empregos diretos. Hoje, Donini preside os conselhos de administração da Marisol, da Tuper e a Santinvest e participa dos conselhos da Condor, Karsten, Breithaupt e Vicunha. Já recebeu mais de 30 premiações e reconhecimentos públicos e privados.

Vilson Hermes: iniciou os negócios em 1980, sendo um dos fundadores da empresa de materiais esportivos Clássico. Na época, seus 11 funcionários produziam para a marca Adidas. Depois, a empresa passou a ser responsável pela gestão da marca italiana Kappa no Brasil, comprou a Umbro do Brasil (em 1998) e mais tarde a Calçados Dilly. Hoje o Grupo Dass tem 11 fábricas no Brasil, Argentina e Paraguai, que totalizam 10,5 mil funcionários, e comercializa marcas como Fila, Umbro e Try On, além de produzir para Nike, Adidas, Oakley e Converse. 


 

MÉRITO SINDICAL 2013

 

SINDICATOS

Categoria

Tempo

Sindicato Patronal da Indústria da Mecânica de Joinville e da Indústria da Mecânica, Metalúrgica e do Material Elétrico da Região

Ouro

40

Sindicato da Indústria de Material Plástico no Estado de Santa Catarina

Ouro

40

Sindicato das Indústrias de Celulose e Papel de Santa Catarina

Prata

30

Sindicato das Indústrias de serrarias, carpintarias, tanoarias, madeiras compensadas e laminadas, aglomerados e chapas de fibras de madeira de blumenau

Bronze

25

Sindicato das Indústrias de Marcenaria, de Móveis de Junco e Vime e de Vassouras, de Cortinados e Estofados de Blumenau

Bronze

25

Sindicato das Indústrias de Laticínios e Produtos Derivados de Santa Catarina

Bronze

25

Sindicato da Indústria de Extração de Pedreiras do Estado de Santa Catarina

Bronze

25

Sindicato da Indústria da Construção e de Artefatos de Concreto Armado do Oeste de Santa Catarina

Bronze

25

Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e do Material Elétrico de Florianópolis

Bronze

25

Sindicato da Indústria do Mobiliário da Grande Florianópolis

Bronze

25

Sindicato das Indústrias Gráficas da Grande Florianópolis

Bronze

25

Sindicato das Indústrias da Construção e do Mobiliário de Mafra

Bronze

25

Sindicato da Indústria do Mate de Catanduvas

Bronze

25

Sindicato da Indústria de Serrarias, Carpintarias, Tanoarias, Madeiras Compensadas e Laminadas, Aglomerados e Chapas de Fibras de Madeira de Joaçaba

Bronze

25

Sindicato da Indústria da Construção Civil de Balneário Camboriú

Bronze

25

Sindicato das Indústrias metalúrgicas, mecânicas e de material elétrico de Timbó

Bronze

25




TOTAL DE PREMIAÇÃO  - MÉRITO SINDICAL

16 SINDICATOS

 





Assessoria de imprensa do Sistema FIESC
imprensa@fiescnet.com.br
(48) 3231-4670 | (48) 8421-4080

  




Faça o download dos arquivos

Agenda

Sem eventos - Em breve nossa agenda será atualizada.

Termômetro da Indústria

Nenhum indicador encontrado