Fiesc

Indústria de SC vai investir R$ 3 bilhões no triênio 2013-2015

A+ a-
Publicado em: 20/06/2013
Indústria de SC vai investir R$ 3 bilhões no triênio 2013-2015
Celulose e papel está entre os setores que mais devem investir no período (foto: Plínio Bordin/FIESC)

Florianópolis, 20.6.2013 - As indústrias catarinenses pretendem investir R$ 3 bilhões no triênio 2013-2015, mostra a pesquisa investimentos industriais, realizada pela Federação das Indústrias (FIESC) com 118 empresas. Com isso, devem ser gerados 18 mil empregos, sendo 13 mil em Santa Catarina, e 5 mil fora do Estado. Se considerados os investimentos anunciados por companhias que pretendem se instalar no Estado, como a BMW; Vossko; Sinotruck, entre outras, o valor pode chegar a R$ 5 bilhões. Os dados estão na publicação Desempenho e Perspectivas da Indústria Catarinense 2013, que a entidade lança nesta sexta-feira (21) com o apoio do Banco Regional de Desenvolvimento Econômico (BRDE).

Na avaliação do presidente do Sistema FIESC, Glauco José Côrte, os dados são importantes, considerando o cenário de crescimento aquém do esperado e da crise que persiste na Europa. "Eles mostram a disposição do industrial catarinense de investir. Mas para que os valores apurados se confirmem, é importante que sejam tomadas medidas para melhorar o ambiente para os negócios e a competitividade da indústria", diz.

No período, os setores que mais devem investir são celulose e papel; alimentos e bebidas e minerais não-metálicos (segmento cerâmico, por exemplo). Os que mais abrirão vagas são alimentos e bebidas e máquinas, aparelhos e materiais elétricos. Os investimentos previstos são para a aquisição de máquinas e equipamentos; modernização do parque fabril; ampliação da capacidade produtiva e melhoria da qualidade dos produtos. As principais fontes dos recursos serão: 42% capital próprio; 32% bancos de fomento; 15% bancos privados nacionais; e 7% bancos de fomento via bancos privados nacionais.

Estima-se que em Santa Catarina ficarão 81% dos aportes. Segundo o levantamento, a diminuição em 2013 se deve ao valor atípico de investimentos registrado em 2012, significativamente elevado em virtude de uma grande empresa do segmento metalúrgico ter investido fora do País. Outra informação que a pesquisa traz é que 81% dos industriais pretendem investir mais em inovação neste ano em relação ao que foi investido em 2012.

Dos R$ 2,7 bilhões investidos em 2012, 56% foram alocados em Santa Catarina, 8% em outros Estados e 36% no exterior. Conforme o estudo, a proporção de indústrias catarinenses que investiu em 2012 foi maior que em 2011 (78% em 2011 e 84% no ano passado). O valor investido em 2012 foi 56% maior que em 2011 (R$ 1,72 bilhão em 2011 e R$ 2,69 bilhões em 2012). Considerando apenas o que foi investido em Santa Catarina, o aumento de 2011 para 2012 foi de 10% em termos nominais (R$ 1,36 bilhão e R$ 1,5 bilhão, respectivamente).

A pesquisa também mostra que, no ano passado, 57% das indústrias ouvidas investiram conforme planejado e 13% além do previsto. As demais realizaram parcialmente ou cancelaram os investimentos.

A Publicação: o trabalho está na 13ª edição. Ele é dividido em dois capítulos: um trata dos investimentos da indústria até 2015 e o outro faz um panorama da economia em 2012 e traz as perspectivas para 2013. O Desempenho estará disponível para download no endereço www.fiescnet.com.br, menu Publicações.




Clique aqui e faça o download da publicação

 


Dâmi Cristina Radin
Assessoria de Imprensa do Sistema FIESC
48 3231-4670 / 48 8421-4080
damicr@fiescnet.com.br



Faça o download dos arquivos

Agenda

Sem eventos - Em breve nossa agenda será atualizada.

Termômetro da Indústria

Nenhum indicador encontrado