Fiesc

Ministério dos Transportes encaminhará Sul Competitivo à EPL

A+ a-
Publicado em: 26/03/2014
Florianópolis, 26.3.2014 - O Fórum Industrial Sul, formado pela FIESC, FIERGS e FIEP, apresentou o estudo Sul Competitivo ao ministro dos Transportes, César Augusto Rabello Borges, nesta quarta-feira (26), em Brasília. As Federações solicitaram providências para realizar obras de melhoria dos eixos de transporte existentes, além de defender estudos para novos eixos apontados no trabalho. O encontro contou também com a presença de parlamentares das três bancadas federais. Representaram Santa Catarina na reunião os deputados Esperidião Amin e Jorginho Mello.

O presidente da FIESC, Glauco José Côrte, afirma que o ministro concordou que as obras são prioritárias, mas apontou as limitações financeiras e orçamentárias para executá-las. "Ele vai encaminhar o estudo à Empresa de Planejamento e Logística (EPL) pedindo que nos receba e depois da reunião com a EPL vamos ao ministério do Planejamento. Saímos com uma perspectiva de encaminhamento e com o compromisso do ministro de dar prioridade aos projetos que apresentamos", disse. Côrte ressaltou que esses investimentos são essenciais para a economia da região sul e têm um retorno inferior a cinco anos, o que os torna muito atrativos.
O Projeto Sul Competitivo compreende longo e minucioso estudo que traça o perfil, a movimentação e a condição de cada modal de transporte de cargas dos três Estados da região. Também avalia as condições da infraestrutura de transportes da Argentina, Chile, Uruguai e Paraguai integrada com o Sul. O trabalho apresenta ainda as obras mais estratégicas e o retorno financeiro do custo logístico com a priorização dos projetos. Considera ainda a realidade socioambiental e a geografia da região com os perfis das cadeias produtivas regionais.

O Sul Competitivo prioriza oito eixos integrados de transporte, reagrupando 49 projetos diferentes com investimento total de R$ 14,4 bilhões. Cinco destes eixos já existem e necessitam apenas de melhorias: BR-101/376 no trecho Porto Alegre a São Paulo, BR-116 no trecho de Porto Alegre a São Paulo, BR-285 no trecho Passo-Fundo à Imbituba, BR-280/282 no trecho São Miguel do Oeste-São-Francisco do Sul e eixo rodoviário Buenos Aires-São Paulo via São Borja e BR-153. Os outros três são novos eixos de integração de transporte, incluindo o eixo rodoviário da Boiadeira BR-487 entre Porto Camargo e Paranaguá, a ferrovia Norte-Sul, de Panorama até Rio Grande, o eixo ferroviário Guaíra-Paranaguá-São Francisco do Sul, permitindo acesso aos Portos do Paraná e Santa Catarina, com capacidade de transporte oito vezes maior que a atual movimentação, permitindo assim desafogar as rodovias e reduzir os custos logísticos.

Estes oito eixos prioritários de investimento passam por todas as principais mesorregiões produtoras e consumidoras e por todos os principais Portos da Região Sul. A economia anual potencial consolidada será de R$ 3,4 bilhões usando os volumes de 2020, gerando uma redução de 7,0% nos custos logísticos de transporte na Região Sul. Tendo em vista o investimento previsto, isto faz com que o prazo para payback (retorno) destes investimentos seja de 4,2 anos.





Dâmi Cristina Radin
Assessoria de Imprensa da FIESC
48 3231-4670 | 48 8421-4080
damicr@fiescnet.com.br



Faça o download dos arquivos

Agenda

Sem eventos - Em breve nossa agenda será atualizada.

Termômetro da Indústria

Nenhum indicador encontrado