Newsletter do SENAI/SC - alunos e pais  |  Nº 2  |  Outubro/2011  |  FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA
Mostra apresenta projetos de alunos e docentes


Máquina automatizada WaterBag, de Florianópolis, será um dos projetos apresentados (foto: SENAI Florianópolis)
A edição deste ano do Inova SENAI, evento a ser realizado em Florianópolis nos dias 26, 27 e 28 de outubro, reunirá 15 projetos desenvolvidos por alunos e professores da instituição. Os trabalhos apresentados podem ter aplicação na educação profissional ou na indústria. O evento será realizado em paralelo juntamente com o Casa Aberta.

Na categoria Aluno, serão apresentados seis projetos. Neles, os alunos transformam papel usado em desenho (Balneário Camboriú); reduzem o volume de embalagens de Isopor (Blumenau); desenvolveram produtos inovadores como o iogurte de beterraba com limão (Chapecó), o queijo tipo Petit Suisse feito de proteínas do soro de leite (Chapecó), uma classificadora de frutas acoplada ao trator (Luzerna) e um sistema de gestão de estoque (Tijucas).

Já os professores vão apresentar projetos como o de adição Eucalyptus para produção de papelão ondulado (Caçador); a uma pesquisa sobre utilização de enzima carboxipeptidase de serina para melhoria do processo de maturação do queijo prato (Chapecó); um teclado que utiliza lâminas overlays (Chapecó); um espectrofotômetro portátil para análises químicas e biológicas (Florianópolis); o case de melhoria da eficiência na geração de energia com biogás (Florianópolis) e uma máquina automatizada para inserção de uma proteção interna em galões d´água.

A melhoria do processo de ensino e aprendizagem também faz parte dos trabalhos apresentados pelos docentes, a exemplo dos estudos feitos sobre os tablets como comunicação alternativa (Mafra/Canoinhas); um kit modular para ensino de microcontroladores e desenvolvimento de projetos (São José) e as apostilas interativas desenvolvidas para tablets (Tubarão).

Saiba mais sobre os projetos

Projeto: Adição de madeira da espécie Eucalyptus Dunni na polpação kraft de Pinus Spp para produção de papelão ondulado

Unidade: Caçador

Equipe:
• Claudiomar Andrades
Categoria: Docente

O projeto consiste na adição de polpa de eucalipto (fibra curta) ao pinus (fibra longa) na produção de papelão ondulado, aquele usado em embalagens. O processo já existe em algumas indústrias, mas os parâmetros não foram publicados. O pesquisador pretende identificar quais as propriedades de resistência que o papel adquire com diferentes percentuais de cavacos de eucalipto no cozimento da polpação kraft (papel utilizado em embalagens como as de cimento).

Os ensaios para fabricação do papel ondulado incluem: resistência ao rasgo, à ruptura, ao arrebentamento e à passagem do ar; gramatura, espessura, volume específico; esmagamento de anel, onda; delaminação, colagem do papel ondulado; printabilidade.
A pesquisa deve durar de três a quatro meses. Os ensaios para fabricação do papel e ondulado incluem resistência à ruptura, ao arrebentamento e à passagem do ar; gramatura, espessura, volume específico; esmagamento de anel, onda; delaminação, colagem do papel ondulado; printabilidade, entre outros. A pesquisa envolve aspectos econômicos, como o uso de madeiras com crescimento mais rápido, e ambientais, que envolvem a quantidade de rejeitos.

Projeto:Melhoria do processo de maturação do queijo prato por meio da utilização da enzima Carboxipeptidase de Serina

Unidade: Chapecó
Categoria: Docente

Equipe:
• Ingrid Boesche Tomazelli
• Jucirlei Ârcego
• Leânia Maria Fabbi
• Marilucia Bonassi
• Vânia Regina Kosloski

O objetivo é reduzir o tempo de maturação do queijo prato, sem alterar suas características, com a utilização da enzima carboxipeptidase de serina, cuja
principal característica é proporcionar um acelerado desenvolvimento de sabor e eliminação de peptídeos amargos. A proposta é estabelecer um procedimento formal para definir os parâmetros de aplicação, considerando temperatura e umidade relativa, e determinar a viabilidade técnica e econômica do novo processo, repassando a tecnologia à indústria. O queijo prato é o segundo em produção mundial, ficando atrás somente do queijo mussarela, e a melhoria do processo de produção de derivados de leite é relevante pata a região Oeste de Santa Catarina, uma das maiores bacias leiteiras do Brasil.


Projeto:Teclado personalizado utilizando lâminas Overlays

Unidade: Chapecó

Equipe:
• Clarice de Fátima da Silva
Categoria: Docente

Adaptações ao teclado Intellikeys para utilização por pessoas com deficiências intelectual (síndrome de Down, autismo, com diferentes níveis). O teclado Intellikeys consiste em placa com superfície sensível ao toque e para o qual podem ser produzidas diferentes configurações do teclado ou mouse, com o uso do software Overlay Maker. Após a configuração, o software permite a impressão em folha de papel simples e a lâmina é posicionada sobre a superfície, funcionando como teclado.

A adaptação realizada em Chapecó modificou a posição das letras, facilitando a compreensão pelas pessoas que estão em fase de alfabetização. Outras aplicações podem ser feitas, adaptando a diversas circunstâncias, como aumentando o tamanho das teclas, inserindo símbolos e figuras, criando um teclado somente numérico, etc.


Projeto:Eficiência na geração de energia com biogás em uma granja de suínos

 

Unidade: Florianópolis

Equipe:
• Roberto Philippi Fullgraf
• Guilherme de Oliveira Camargo
• Patrick da Silva
Categoria: Docente

Projeto realizado pelo SENAI, em parceria com a Granja São Roque, de Videira (meio-oeste catarinense), já está ajudando a empresa em suas ações de sustentabilidade e vai contribuir para que ela possa fazer parte do mercado de créditos de carbono. Com o sistema implantado pelo SENAI, a empresa tem condições de saber exatamente a quantidade de biogás que esta sendo convertida em energia elétrica e quanto gás metano deixa de ser despejado na atmosfera.

Conhecida nacionalmente por sua preocupação com a sustentabilidade na criação de suínos, a Granja São Roque aloja cerca de 50 mil suínos, que produzem 300 mil litros de dejetos por dia. A granja possui um sistema que utiliza os dejetos (fezes e urina) dos animais para produzir biogás, a partir de biodigestores. O combustível é utilizado na própria empresa, na produção de energia elétrica. A granja é a primeira empresa no estado a possuir autorização da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para a venda da energia excedente.

Apesar da produção de biogás ser feita há quase dois anos, a empresa não tinha informações sobre quanto de gás era gerado, quanto era consumido nos geradores da própria granja e quanto sobrava (e precisava ser destruído antes de ser jogado na atmosfera). Com isso, não possuía condições de contabilizar a produção e realizar a venda de crédito de carbono. O sistema implementado pelo SENAI, além de permitir a mensuração, também pode ter a confiabilidade de suas informações auditada por terceiros, qualificando a granja para vender créditos de carbono.

O veterinário Nelson Pascoal, proprietário da Granja, destaca que esse é um dos três projetos existentes do país com a possibilidade de obter receita a partir da venda de crédito da produção de biogás. "Para vender os créditos, precisamos ser autorizados pela ONU (Organização das Nações Unidas). Como a visita às instalações já foi feita e agora estamos na fase de certificação, esperamos em breve entrar nesse mercado", explica o proprietário.

Projeto: Espectrofotômetro portátil para análises químicas e biológicas

Unidade: Florianópolis

Equipe:
• Roberto Philippi Fullgraf
• Thiago L. de Oliveira
• Luis Fernando Garcia
• Arnaldo S. Junior
Categoria: Docente


O objetivo deste projeto foi o desenvolvimento de um espectrofotômetro, que é um equipamento utilizado para medir a concentração de substâncias químicas dissolvidas em líquidos, ou até mesmo em gás. Atualmente existe no mercado de análise de água, efluentes, solo, clorofila, extratos de plantas e sangue, basicamente dois tipos de equipamentos: fotômetros e espectrofotômetros.

Os fotômetros são equipamentos que utilizam a tecnologia de LEDs, são baratos, e são fáceis de transportar e manusear. Podem ser utilizados em inúmeras análises químicas colorimétricas, porém, são equipamentos que possuem diversos interferentes durante a realização da análise não atendendo uma faixa de mercado que envolve processos que necessitam de equipamentos mais sensíveis, com resultados mais precisos.
Estes equipamentos possuem um LED para cada comprimento de luz (cor), sendo assim, análises que necessitam de um comprimento que fique entre a cor de dois LEDs tem seu resultado prejudicado.

Já os espectrofotômetros são equipamentos que utilizam a tecnologia de um sistema óptico (prisma), para decompor a luz em diversos comprimentos de onda. Estes equipamentos são robustos e de alto valor; são utilizados exclusivamente para análises químicas e clínicas, porém devido a seu custo, mobilidade e fragilidade do sistema ótico não representam uma solução viável para atividades em campo.

Atualmente não existe no mercado nacional, um equipamento com as seguintes características: portabilidade (para atividades em campo), eliminação de interferentes e utilização de LEDs RGB para a cobertura do espectro da luz. Desta forma, foi estabelecido os objetivos desse projeto; desenvolver um espectrofotômetro que cubra a faixa de 420 nm a 860 nm, portátil e de baixo custo, para a realização de análises químicas e biológicas, com tecnologia de varredura, utilizando múltiplos LEDs e LEDs RGB.

Toda a estrutura mecânica do equipamento foi projetada em computador, utilizando ferramentas como SolidWorks e Altium Designer. No topo do equipamento está localizado o poço onde é encaixada a cubeta com o líquido que será realizado a análise espectrofotométrica. Logo abaixo tem-se um display de LCD, no qual é dado o resultado das medições e um teclado do tipo alfanumérico.

Faz parte do produto um software, que tem a função de prover uma interface pela qual o responsável técnico possa inserir dados de parametrização no equipamento, assim como ler os dados que estão gravados. O software foi desenvolvido em linguagem Java, o que adicionou portabilidade ao mesmo, podendo ser executado em diversos sistemas operacionais.

Projeto:Máquina automatizada para inserção do "Water Bag"

Unidade: Florianópolis

Equipe:
• Roberto Philippi Fullgraf
• Alfeu Scotti
• Viniciús U. Vignes
• Lúcio Trajano
Categoria: Docente

No Brasil, do volume total de água mineral, cerca de 60% é comercializado em embalagens retornáveis na forma de garrafões de 20 litros, feitos em sua maior parte de material plástico (PP, PET, Poli Carbonato).

Devido ao custo elevado de produção destas embalagens, torna-se inviável que esses garrafões sejam descartados após o primeiro uso, sendo necessário que estes retornem para as envasadoras de água para serem reutilizados durante um período de 3 anos, validade pré-determinada pelo Inmetro - Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial.

Apesar do aumento de consumo de água mineral no mundo e no Brasil, ainda não existe no mercado nacional uma embalagem primária no engarrafamento de água mineral que isole o contato da água com o material do garrafão que em algumas situações pode ser facilmente contaminado. Percebendo a problemática envolvida e a oportunidade de mercado, o SENAI e a Radcontrol iniciaram o estudo de uma embalagem intitulada Water Bag, (pedido de patente sob nº PI0704521-2 - 29/11/2007).

O desdobramento desta iniciativa cuminou no desenvolvimento de um equipamento mecânico automatizado que tem como objetivo prover à indústria de envasamento um processo automatizado para inserir e vedar a sacola plástica descartável dentro dos garrafões de água mineral. Ao impedir o contato direto da água com o vasilhame retornável, evita-se a contaminação microbiológica ou a alteração físico-química proveniente de uma limpeza ineficiente, solucionando um problema real nas empresas de envase de todo o país. A máquina foi desenvolvida para ser inserida na linha de produção das envasadoras, sem quaisquer alterações nas máquinas existentes (máquina de lavar e de envase), a única alteração será de layout do espaço físico, pois a máquina de inserção do "WaterBag" ficará entre a máquina de lavar e a máquina de envase.

Os maiores impactos desse equipamento serão a redução do consumo de água mineral na lavagem dos garrafões e uma melhor qualidade da água para o consumidor, pois a água terá contato apenas com uma embalagem virgem e descartável.

Categoria: Docente

Projeto:Classificadora de frutas acoplada à tomada de força do trator

Unidade: Luzerna

Equipe:
• Everton Farina
Categoria: Docente

O trabalho consiste em um projeto de melhoria do processo de classificação de frutas visando uma redução de tempo entre a colheita e a classificação. Agregando valor ao produto final por meio de uma máquina acoplada diretamente ao trator que vem a evitar o tempo ocioso de processos de processos intermediários presentes.
Uma vez que não existem máquinas deste tipo no mercado (classificação de frutas em campo) além daquelas que são utilizadas dentro das empresas de comercialização e exportação de frutas que selecionam as mesmas conforme cor, peso e tamanho, torna-se viável o estudo de um produto que seja capaz de realizar a tarefa de seleção em campo. Esta característica reduzirá e facilitará boa parte do processo de seleção na empresa.
A eliminação de algumas etapas do processo como ocorre atualmente garantiria ganhos em produtividade e tempo, já a mecanização da classificação reduziria o fator humano e consequentemente os erros contidos no processo, agregando valor ao produto final bem como uma homogeneidade dentre as classes selecionadas conforme norma.
O objetivo geral deste projeto é criar um equipamento que seja acoplado ao trator de pequeno porte (fruteiro) capaz de classificar, segundo os padrões exigidos e de forma eficiente os diversos tipos de frutas produzidas no estado de Santa Catarina.

Projeto: O tablet como comunicação alternativa: uma realidade tecnológica

Unidade: Mafra/Canoinhas

Equipe:
• Laurant Patrik Brykczynski
Categoria: Docente

Aplicativo para tablet para auxiliar pessoas com deficiência, substituem pranchetas de madeira ou de papel que são utilizados por essas pessoas. São casos em que as pessoas apontam para figuras para se comunicar para, por exemplo, pedir comida ou água.

O projeto tem o objetivo de atender situações existentes na Apae de Mafra, onde vários alunos utilizam essa forma de comunicação alternativa. Na prancheta as expressões são limitadas a uma determinada quantidade de páginas. Já o tablet permite ampliar o vocabulário, criando rede com outras expressões ou ações, além de possibilitar o uso de sons e imagens.

O autor da ideias afirma que não precisam ser implentados em tablets caros, pois o aplicativo pode ser utilizado em equipamentos de baixo custo.



Projeto:Modulab: Kit Modular para ensino de microcontroladores e desenvolvimento de projetos

Unidade: São José

Equipe:
• Rafael Lindemann Duarte
Categoria: Docente

ModuLab é um kit utilizado tanto de forma didática no apoio ao ensino de microcontroladores, quanto para o desenvolvimento de protótipos de sistemas microcontrolados e embarcados de forma geral. Este kit é constituído de módulos, onde cada módulo representa uma funcionalidade, ou seja, um tipo de circuito utilizado em sistemas microcontrolados.

No processo de ensino de microcontroladores, este kit pode ser usado para teste dos exercícios e trabalhos desenvolvidos, apresentando uma flexibilidade que não pode ser encontrada em nenhum outro kit didático. Além disto, ao realizar a conexão dos módulos necessários para o teste do programa desenvolvido, o aluno tem também contato com o hardware, o que é imprescindível para o aprendizado do desenvolvimento de sistemas embarcados.

Em uma aula sobre leitura de sinais analógicos e conversores A/D, por exemplo, pode ser criada a plataforma de testes para os programas desenvolvidos ao longo da atividade. Com esta montagem, o aluno dispõe de uma placa com sinais analógicos para serem lidos, o microcontrolador para efetuar estas leituras e um display para apresentar os resultados. Em poucos segundos é criado o ambiente para testar os programas desenvolvidos.
Após o produto testado e completamente validado, pode ser desenhada por fim sua placa definitiva, sem alterações ou modificações, tornando o desenvolvimento um processo muito mais barato e rápido.

Projeto:Desenvolvimento de apostilas interativas para tablets

Unidade: Tubarão

Equipe:
• Thiago Geremias de Oliveira
• Julio Cargnin Pereira
• Murilo Fernandes Pavanati
Categoria: Docente

O objetivo deste projeto é desenvolver apostilas interativas para a tecnologia dos tablets. O projeto busca agregar - nas apostilas - diversos recursos multimídia, desde textos animados até vídeos, músicas, animações, atividades e exercícios que ajudam a promover a interatividade entre os alunos e apoiar o processo de ensino e aprendizagem.
A utilização de determinadas soluções tecnológicas, pode aumentar de forma significativa o nível de interação e disseminação dos recursos didáticos permitindo ao aluno uma melhor compreensão de determinados conceitos e técnicas.
A metodologia do projeto aborda todo o ciclo de construção do recurso didático, desde seu alinhamento pedagógico junto à equipe de desenvolvimento, seleção de conteúdo, elaboração de atividades dinâmicas, desenvolvimento do recurso digital interativo (apostila), treinamento de docentes até a aplicação em sala de aula e finalmente a sua avaliação.
O material desenvolvido foi apresentado aos alunos e professores dos cursos: Técnico em Redes de Computadores e Aprendizagem Industrial em Suporte e Manutenção de Microcomputadores e Redes Locais, porém a adoção da tecnologia apresentada pode ser empregada em aulas presenciais e a distancia, para todos os cursos de educação profissional e nas diversas áreas de atuação do SENAI.

 

Projeto:Papel Usado, Desenho Novo!

Unidade: Balneário Camboriú

Equipe:
• Gustavo Adriana Cristina Amorim
• Francine Nascimento da Silveira Caurio

Orientador:
• Caroline Santos da Silva
• Iascara Oara de Jesus
• Ieda Nunes Correia
Categoria: Aluno

O objetivo é construir um livro artesanal reciclado, utilizando as sobras de papeis das escolas do SENAI, visando a documentação dos desenhos, criações e das experiências vivenciadas no curso de moda em Balneário Camboriú, Ilhota e outras.
Atentos aos novos cenários que se desenham nesta área, os alunos buscam, por meio desta iniciativa, abrir um canal de comunicação com alguns grupos e contribuir de forma efetiva para que a região se integre à cultura contemporânea de moda e design, ao mesmo tempo em que amplia e socializa aspectos interessantes e desafiantes da educação por competência.
Em cada livro, serão publicadas 100 páginas, contendo trabalhos selecionados pelos orientadores que representem de forma efetiva varias áreas dos alunos das aprendizagens, com mais um objetivo integrar os cursos.


Projeto:Estudo da redução de volume de embalagens de Ps expandido (Isopor) para transporte e reciclagem

Unidade: Blumenau

Equipe:
• André José Ignácio

Orientador:
• Fernando Darci Pitt
Categoria: Aluno

Por ser um material expandido, o volume do pode ser ocupado por até 98% de ar Isopor® (Poliestireno Expandido, ou EPS), condição que dificulta seu transporte, mesmo em curtas distâncias, e inviabiliza economicamente a reciclagem e a reutilização. Assim, o produto, que é largamente utilizado em embalagens, e seu destino final geralmente são os aterros sanitários, onde acaba misturado a outros resíduos.

Com a proposta de encontrar uma solução viável para o destino desse resíduo, o estudante desenvolveu um processo de densificação do EPS por meio de um de aglutinador de polímeros.

Para isso, estudou a viabilidade técnica, econômica e energética desta redução de volume para a posterior reciclagem.
Como resultado obteve uma redução de aproximadamente 97% do volume aparente das embalagens, o que o habilita econômica e energeticamente para o transporte para reciclagem.

A análise da viabilidade técnica se deu a partir da reciclagem do resíduo cujo volume foi reduzido, através dos processos de extrusão e posterior injeção em produtos acabados, obtendo-se um resultado também satisfatório.

Concluiu-se assim, que é um processo viável para ser utilizado em cooperativas de coleta seletiva, agregando desta forma mais uma fonte de renda para os trabalhadores nela engajados, além de permitir a remoção do meio ambiente deste polímero de excelente qualidade que hoje é simplesmente depositado em aterros sanitários ou mesmo lixões.

Projeto:Elaboração de iogurte de beterraba com limão

Unidade: Chapecó

Equipe:
• Creciana M. Endres
• Marli T. Viot Fabricio
• Maryelen A. Souza

Orientador:
• Juliana Savio

Categoria: Aluno

O objetivo deste trabalho foi desenvolver uma formulação de iogurte de beterraba com limão, apresentando características nutricionais elevadas, atendendo às faixas etárias com maior necessidade de vitaminas encontradas em alimentos e incorporadas a produtos como iogurtes, sendo esse produto consumido pelo público em geral.

Elaborou-se o iogurte e após utilizou-se beterraba e limão como matéria-prima para saborizar o mesmo. Analisou-se a aceitação do produto, através da análise sensorial, por meio de um teste de escala, pelo qual são atribuídas notas aos atributos de cor, odor e sabor da formulação. Também foi analisado, paralelamente, e a aceitação de um produto comercial (iogurte) saborizado de morango.

No atributo cor o iogurte de beterraba com limão apresentou maior aceitação, comparado com a formulação de morango. Para os atributos odor e sabor, o iogurte de morango teve maior aceitação seguida da formulação de beterraba. Após a análise sensorial foi possível diagnosticar que os provadores comprariam este nova formulação caso estive-se disponível em escala comercial.

Projeto:Elaboração de queijo tipo petit suisse a partir de proteínas do soro de leite

Unidade: Chapecó

Equipe:
• Débora C. Franca
• Fernanda C. Andolfatto
• Joana M. B. Alberti

Orientador:
• Juliana Savio
Categoria: Aluno

O objetivo é verificar a aceitação sensorial do atributo sabor de um queijo tipo petit suisse elaborado à base de proteína de soro de leite e saborizado de morango. As proteínas contidas no soro de leite foram coaguladas através da coagulação ácida. Após misturou-se esse produto com creme de leite, água e saborizante em polpa sabor morango, homogeneizando em um liquidificador para garantir a textura igualitária do produto.
Avaliou-se sensorialmente a formulação, através do teste de escala hedônica de 5. A formulação foi elaborada no laboratório de leites e derivados do SENAI (unidade de Chapecó/SC). O teste foi realizado por 47 provadores não treinados, no atributo sabor, obtendo uma média de 4,09 (onde a nota máxima é 5), apresentando perante a escala uma aceitação de 81,7%.

Através dos resultados verificou que houve a aceitabilidade dos consumidores pela formulação apresentada. Soro de leite é um subproduto da área de produtos lácteos, pouco utilizado hoje em dia, porém com um conteúdo nutricional muito interessante, contendo proteínas, carboidratos e pequena quantidade de gordura e sais minerais.
A coagulação ácida é uma das formas de coagular as proteínas do soro. Pode-se agregar valor a esse produto adicionando outros ingredientes lácteos, aromas e saborizantes, buscando inovação no mercado lácteo.


Projeto:Sistema de Gestão de Estoque

Unidade: Tijucas

Equipe:
• Fabricio Darosci Junior

Orientador:
• Pedro César Bittencourt Azevedo
Categoria: Aluno

É uma proposta de informatização do Kanban, sistema de produção desenvolvido na década de 1960 por engenheiros da Toyota Motors, do Japão e é baseado no conceito de just-in-time (onde tudo deve ser produzido, transportado e comprado em um momento exato). O sistema de gestão foi desenvolvido com base em cartões, cartazes ou painéis manuais, preenchidos para cada etapa da produção e que deixam as informações padronizadas e a vista de todos.

O principal objetivo do desenvolvimento do sistema e-Kanban é fornecer às empresas a possibilidade de utilizarem o sistema de maneira informatizada, tornando esta uma maneira rápida, fácil e segura de gerenciar e controlar a sua linha de produção e estoque.
O grande diferencial deste sistema é que o controle não acontece apenas no almoxarifado ou no estoque, mas sim em todas as etapas do processo de fabricação. Os cartões serão impressos pelo sistema e podem ser fixados as caixas dos produtos, permitindo controlar o uso de materiais e fazer o rastreamento do produto ao longo da linha de produção e dentro do estoque.

Veja aqui todas as notícias

Eventos devem atrair mais de 100 mil em outubro

Trinta ocupações industriais estarão em disputa

Casa Aberta terá visitas guiadas, palestras e minicursos

Mostra apresenta projetos de alunos e docentes

Para o Dia do Idoso, alunos fabricam roupas sob medida

Dezessete alunos do SENAI/SC se classificam no Cisco NetRiders

Blog do Conhecimento: Nova escola da construção civil

Blog do Conhecimento: Isopor biodegradável

Facebook Twitter Linkedin Flickr

Observatório

Indústria e competitividade

Guia da Indústria FIESC

Saiba mais





Federação das Indústria do Estado de Santa Catarina

Departamento Regional - Fone 48 3231 4100

Rod. Admar Gonzaga 2765 - Florianópolis/SC - 88034-001

Gerência de Comunicação

Institucional:Elmar Meurer

Edição:Filipe Scotti e Dâmi Radin

Reportagem:Dâmi Radin, Elida Ruivo, Ivonei
Fazzioni e Gabrielle Bittelbrun